quinta-feira, 1 de setembro de 2011

O calor do momento


Não sei dizer, por hora, se é “o calor do momento”. Mas é horrivel a sensação de que seu sangue está a congelar-se, de que seu coração, sua boca, tudo parou, travou, e o tempo continua correndo, correndo, o mundo continua andando e você está ali parada sem saber o que fazer. Você está se sentindo culpada e com vergonha de se sentir culpada, pois até onde você sabe, é absolutamente inocente, não quebrou nenhuma promessa, mas isto é irrelevante para seus sentimentos que parecem ignorar o que você acredita, pois alguém está a lhe culpar e você sente culpa pelos sentimentos deste alguém. Parece não fazer sentido algum e é tão real que causa medo, é tão real que chega a doer, e a única coisa que você parece poder fazer é continuar parada, pensando se foi você quem errou, ou onde poderia ter errada, nada surge disso e você continua a fazer-se perguntas, será que poderia ter falado de forma diferente, ter feito de forma diferente, com certeza você sabe que sim, mas isso continua lhe parecendo insuficiente para se culpar, você quase implora por um bom motivo que te faça sentir culpa, assim seu coração poderá voltar a bater, sua boca poderá voltar a falar, então você poderá enfim pedir desculpas, abraça-lo e esquecer que existiu aquele momento, aquela sensação danosa. E seu ego, de uma forma estranha, poderá ficar novamente em paz.

quarta-feira, 6 de abril de 2011

Dilacera amor



Dilacera o meu coração, dilacera, toma-o em tuas mãos e queima.

Assim talvez eu me livre então dessas trevas e te esqueça na solidão por inteira.

Eu vou andar por ai, tentando espairecer, vou beber pra dormir evitando pensar em você, eu vou sair, vou trabalhar, ver filmes na TV, e sei que mesmo assim vai ser difícil te esquecer. Mas não pense que eu pretendo lhe mau-dizer, contar mentiras pra te difamar, ou intimidades pra te aborrecer.

Eu guardo bons momentos, e até deles preciso me livrar, pois tornam impossível eu deixar de te amar. E pra não ficar aqui devaneando e a me lamentar, vou por fim me voltar a ti e lhe suplicar.

Dilacera amor, dilacera.

Dilacera o meu coração, dilacera, toma-o em tuas mãos e queima.

Dilacera amor, dilacera.

Dilacera o meu coração e queima.